Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Aventuras De Um Rapaz Distraído

Lifestyle, Cultura, Livros e Sociedade!!! :)

15
Jul18

A beleza da minha universidade

João Martins

30742801_1637380779632944_1221645976389812224_n.jp 

Como o tempo passa num instante! 

Neste blogue nunca fiz referência a isto, por isso tirando os meus seguidores das redes sociais, muito poucos sabem, mas a minha vida nestes últimos tempos mudou muito... Ingressei no curso de Animação Cultural e Comunitária da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Terminei o primeiro de uma licenciatura de três anos! Arrisco-me a escrever que sou mais feliz e estudo numa das universidades com uma biodiversidade extraordinária. Esta possuí o maior  jardim botânico da Europa. A vida não me podia ter dado um melhor rumo! Adoro a natureza, o campo, as montanhas, a ruralidade e as tradições do nosso Portugal...

Tenho até ganho mais saúde neste período de tempo...  

A simpatia das pessoas da UTAD e de Vila Real é única!  

Sei o que muitos de vocês poderão estar a pensar, neste momento: Não existia nada mais perto de Ovar? 

Não! São poucas as universidades que têm cursos de teatro e animação sociocultural. Agradeço ao universo ter ido parar a Vila Real e não ter ficado numa academia de teatro, mais perto de casa, pois nesse caso não poderia tornar-me num individuo tão independente como sou hoje e capaz de aproveitar a vida académica. 

Muitos de vocês sabem que eu estou bastante associado ao teatro, mas poucos conhecem uma outra vertente minha, a Animação.  Deixemos esta história para outra publicação!

Nos intervalos das aulas, gosto muito de passear pela minha universidade e tirar muitas fotografias! É relaxante passear, analisar e conhecer diferentes espécies de plantas e flores espalhadas pelo campus.

Deixo aqui, algumas fotografias, que tirei, durante o primeiro e segundo semestres.

Espero que sejam do vosso agrado! 

 

IMG_0071.JPG

 

IMG_0576.JPG

 Da Minha Aldeia

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver do Universo...

Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer,

Porque eu sou do tamanho do que vejo

E não do tamanho da minha altura...

 

Nas cidades a vida é mais pequena

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,

Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,

Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,

E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.

 

“O Guardador de Rebanhos”. In Poemas de Alberto Caeiro. Fernando Pessoa.

 

 

O Meu Olhar

O meu olhar é nítido como um girassol.

Tenho o costume de andar pelas estradas

Olhando para a direita e para a esquerda,

E de vez em quando olhando para trás...

E o que vejo a cada momento

É aquilo que nunca antes eu tinha visto,

E eu sei dar por isso muito bem...

Sei ter o pasmo essencial

Que tem uma criança se, ao nascer,

Reparasse que nascera deveras...

Sinto-me nascido a cada momento

Para a eterna novidade do Mundo...

 

Creio no Mundo como num malmequer,

Porque o vejo. Mas não penso nele

Porque pensar é não compreender...

O Mundo não se fez para pensarmos nele

(Pensar é estar doente dos olhos)

Mas para olharmos para ele e estarmos de acordo…

 

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...

Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é,

Mas porque a amo, e amo-a por isso,

Porque quem ama nunca sabe o que ama

Nem sabe porque ama, nem o que é amar...

 

Amar é a eterna inocência,

E a única inocência é não pensar...

 

8-3-1914

“O Guardador de Rebanhos”. In Poemas de Alberto Caeiro. Fernando Pessoa.





Publicidade





Publicidade





A ler...





Destaques





Publicidade

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Projeto no Instagram